Um grupo de pesquisadores da China desenvolveu uma nova tecnologia para a reciclagem de baterias de lítio-ferro-fosfato (LFP). Ela se baseia em um sistema eletroquímico e em um nanogerador triboelétrico chamado (TENG), que é capaz de se autoalimentar por meio do uso da energia eólica.

Trata-se de um pequeno dispositivo com lâminas movidas pelo vento, combinado com o TENG, que gera a energia necessária para operar todo o complexo mecanismo.

Gigafábrica de baterias da Volkswagen em Salzgitter

Matérias-primas puras

No reator de reciclagem eletroquímica, uma solução de cloreto de sódio é usada como mediador redox para iniciar uma reação química que leva à formação de fosfato férrico (FePO4) e lítio (Li+). Todo o processo é particularmente ecológico porque não requer produtos químicos adicionais.

O sistema proposto pela equipe chinesa tem alta eficiência, baixos custos e alta pureza das substâncias recuperadas. Especificamente, 99,7% de carbonato de lítio (Li2CO3) e 99,75% de fosfato férrico (FePO4).

  • Li2CO3: 99,7%
  • FePO4: 99,75%
storedot bateria rapida

Também recicla plástico e alumínio

"Nosso estudo abre novas oportunidades na reciclagem de baterias de fosfato de ferro e lítio", explicou Baofeng Zhang, primeiro signatário da pesquisa, "porque o TENG também recupera os componentes residuais das baterias, como carcaças, folhas de alumínio-plástico e outras peças".

"Isso reduz drasticamente os poluentes secundários. Além disso, o TENG funciona com energia eólica, fornecendo 0,21 watts de energia para operar o sistema de reciclagem eletroquímica."

O sistema de reciclagem de bateriasdaChina é considerado particularmente importante porque as baterias de lítio-ferro-fosfato representam atualmente 32% da participação no mercado global e, até agora, os principais métodos de recuperação e reciclagem eram baseados em lixiviação eletroquímica ou química, um método particularmente poluente e com enorme consumo de eletricidade e produtos químicos.