OMercedes Vision EQXX havia sido visto há alguns dias durante uma série de testes rodoviários que o fabricante alemão havia organizado para avaliar a eficiência do carro elétrico e desenvolver uma série de aspectos para maximizar o seu alcance.

Hoje, a Mercedes declara que finalizou esses testes de campo e conseguiu percorrer mais de 1.000 km com uma única carga, fechando o consumo em um valor médio de 8,7 kWh / 100 km. E conseguiu o feito rodando em estradas normais, ao longo de uma rota que incluiu Alemanha, Suíça, Itália (passando por Milão) e chegando até Cassis, perto de Marselha, na França.

Uma avaliação independente

O resultado obtido pelo que desde o início foi definido como o Mercedes mais eficiente já construído até hoje, assume um valor ainda maior se considerarmos que não foi a própria empresa que testou o veículo, mas o órgão de certificação TUV Sud, órgão independente especializado na avaliação de carros e componentes de muitos pontos de vista.

Ola Kallenius, CEO da Mercedes, comentou: "Conseguimos! Cobrimos mais de 1.000 km com uma única carga de bateria em condições reais de tráfego. Esse resultado representa um marco no caminho que estamos enfrentando para o desenvolvimento de veículos elétricos de última geração."

Conceito Mercedes Vision EQXX: recorde de autonomia

Tecnologia pronta para o mercado

Para criar o Mercedes Vision EQXX, os técnicos da empresa com sede em Stuttgart projetaram cada detalhe tentando maximizar a eficiência. Assim, da aerodinâmica ao gerenciamento de baterias e ao consumo de energia, tudo foi reunido para reduzir o consumo e aumentar a quilometragem.

"O sucesso alcançado com este teste também foi possível graças à colaboração com a equipe Mercedes-AMG de Fórmula 1, que disponibilizou sua experiência na área de gestão de motores elétricos – disse Markus Schaefer, diretor do departamento técnico -. Muitas das tecnologias utilizadas no EQXX, no entanto, estão prontas para serem usadas em carros elétricos de última geração. Eles então chegarão nos modelos que estarão regularmente no mercado em alguns anos".

Um verdadeiro caminho misto

No trajeto, em certos trechos de rodovias, o Vision EQXX atingiu picos de 140 km/h, sem poupar muito em nome de eficiência, mas explorando seu Cx de apenas 0,17 e uma área frontal limitada, igual a 2,12 metros quadrados. Para minimizar o consumo de combustível, além de aproveitar a aerodinâmica ativa, o conceito da Mercedes também contava com pneus Bridgestone especialmente desenvolvidos – medindo 185/65 R20.

Conceito Mercedes Vision EQXX: recorde de autonomia

Na região dos Alpes, como na área que leva ao túnel Gotthard, o EQXX, por outro lado, se baseou no baixo peso para enfrentar as subidas sem um gasto excessivo de energia. O carro, graças ao uso de ligas especiais de alumínio e inúmeras peças de fibra de carbono, não ultrapassa 1.754 kg.

Para cravar um consumo de apenas 8,7 kWh/100 km, o carro maximizou a regeneração de energia durante os trechos de descida e graças à contribuição dos painéis solares no teto: 117 células solares que alimentam a bateria de 12 Volts, responsável pelo gerenciamento de utilitários auxiliares. Apenas o sol nos permitiu ganhar 25 km de autonomia.

Trem de força de "corrida"

A contribuição dos técnicos da equipe de Fórmula 1 (que já haviam trabalhado no Projeto One) limitou-se à gestão eletrônica, mas também contribuiu na fase de projeto. Por essa razão, por exemplo, a unidade de propulsão composta por motor elétrico, transmissão e eletrônica de potência é particularmente compacta e eficiente (95% da energia que vem da bateria realmente vai para as rodas), além de potente, sendo capaz de entregar 245 cv.

Para a bateria, por outro lado, foi escolhido um acumulador de alta tensão – com uma arquitetura de mais de 900 Volts – e com uma densidade energética de quase 400 Wh /l.

Conceito Mercedes Vision EQXX: recorde de autonomia

No Mercedes Vision EQXX, foi escolhido um sistema avançado de resfriamento que também explora o fornecimento de ar fresco para o compartimento da bateria. Essa solução, que permanece aerodinamicamente eficiente, possibilitou minimizar o funcionamento do sistema, levando sozinho a um aumento da autonomia de cerca de 20 km.

Ainda 'sobrou' 140 km

Para tornar a condução mais eficiente em uma rota tão longa, o Mercedes EQXX também usou uma análise de rota através de inteligência artificial para sugerir ao motorista o melhor comportamento de condução possível.

O interessante é que uma vez em Cassis, local escolhido para a parada, o carro, após 1.008 km e 11 horas e 32 minutos de viagem concluiu a viagem com uma autonomia residual de 140 km. Em retrospectiva, uma distância suficiente até mesmo para uma nova viagem rumo à uma cidade vizinha.