Não há como negar o desempenho que os carros elétricos modernos oferecem hoje em dia. Há vários vídeos de arrancadas que mostram o quanto esses veículos movidos a bateria evoluíram em poucos anos. Em todo caso, o 0-100 km abaixo dos 5 segundos praticamente virou um padrão para os elétricos de desempenho mais alto.

No entanto, ainda há aqueles que argumentam que há uma coisa que esses carros elétricos não podem fazer, e isso é o envolvimento do motorista. Talvez uma razão para esse argumento seja a falta de uma transmissão manual nesses veículos que 'vão na tomada'. Felizmente, há quem queira mudar essa percepção. Uma delas é a Electrogenic, uma empresa sediada em Oxford, Inglaterra.

Porsche 356 elétrico
Porsche 356 elétrico
Porsche 356 elétrico

AElectrogenic tem feito câmbios para carros mais antigos há algum tempo. Ela converteu vários clássicos em elétricos, incluindo um Volkswagen Kombi, um Fusca, um Rolls-Royce Silver Shadow, e até mesmo um Hudson Comodoro. O projeto mais recente da empresa é um Porsche 356 elétrico. 

Ao contrário da maioria dos câmbios para VEs, este é uma transmissão manual. Não apenas isso, o 356 movido a bateria usa simplesmente a transmissão original de 4 velocidades do modelo original. Há até alguns acenos ao passado com este 356 elétrico. Por exemplo, o motor ainda está na parte traseira, ele ainda usa janelas com 'corta-vento' e até mesmo o sistema de bateria é refrigerado a ar. Então, como a Eletrogênica fez isso?

O motor elétrico está conectado a uma placa que o liga ao volante. Potência e aceleração são controlados por meio de uma placa específica e uma embreagem. Um adaptador especial, então, faz a coisa toda funcionar. Se você está curioso sobre os números de desempenho, o motor é capaz de entregar 120 cavalos de potência (80 kW) e 23,9 kgfm de torque.

O carro realmente se comporta como um modelo manual, apesar de ter um motor elétrico. Felizmente, o motor não morre, mas você terá que usar a embreagem nas saídas. Você também pode optar por colocar em uma marcha e deixar o torque fazer todo o trabalho.

Ele pode não ter o ronco do motor flat-four quando você acelera, mas o fato de que aumenta a sensação de uma caixa manual torna-o bem interessante. A Electrogenic pode não ser a primeira a construir um VE manual, mas é bom saber que há mais empresas trabalhando com isso. 

Então, vem a pergunta: quanto custa? Sem o custo de um carro doador, a conversão vai sair por volta de 30.000 a 50.000 libras (R$ 224.900 a R$ 373.800), dependendo de quanta potência e autonomia você quer. É bem salgado, mas há de se considerar a exclusividade.